01/03/2013 20h57 - Atualizado em 01/03/2013 20h57

Criação da Coordenadoria da Mulher é reivindicação de mulheres de Amambai

 

Fonte: Da Redação

 
A criação e implantação da Coordenadoria de Mulher de Amambai, vinculada à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura, é a principal reivindicação das mulheres do município. A criação e implantação da Coordenadoria de Mulher de Amambai, vinculada à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura, é a principal reivindicação das mulheres do município.

A criação e implantação da Coordenadoria de Mulher de Amambai, vinculada à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura, é a principal reivindicação das mulheres do município. A responsabilidade pelo projeto é do Grupo Mulheres em Movimento.

Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o grupo realiza uma programação alusiva a data com o tema Empoderamento da Mulher. O evento acontece no plenário Lourino Jesus de Albuquerque da Câmara de Vereadores, na sexta-feira (8), às 19h30.

Programação do 8 de março

 
Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o Grupo Mulheres em Movimento realiza uma programação alusiva a data com o tema Empoderamento da Mulher. Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o Grupo Mulheres em Movimento realiza uma programação alusiva a data com o tema Empoderamento da Mulher.

Na oportunidade, acontece abordagem do tema em palestra proferida pela escrivã da Polícia Civil, Leda Teresa Andrade da Silva, momento cultural e a formalização da reivindicação pela implantação da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres de Amambai. O anteprojeto da criação do órgão será entregue ao prefeito municipal de Amambai, Sérgio Barbosa.

Estão convidados para o evento as autoridades e lideranças municipais. A subsecretária da Mulher e da Promoção da Cidadania, Tai Loschi, e a deputada estadual, Mara Caseiro, confirmaram suas presenças. A participação é aberta a toda a comunidade amambaiense, em especial às mulheres.

Subsecretaria da Mulher e da Promoção da Cidadania

 
Leda Andrade da Silva, acompanhada da advogada Loreni Giordani e de Adélia Aparecida Pereira, estiveram na subsecretaria da Mulher e da Promoção da Cidadania  para conhecer e obter apoio técnico para implantação da coordenadoria no município. Leda Andrade da Silva, acompanhada da advogada Loreni Giordani e de Adélia Aparecida Pereira, estiveram na subsecretaria da Mulher e da Promoção da Cidadania para conhecer e obter apoio técnico para implantação da coordenadoria no município.

Na última quarta-feira (27), Leda Andrade da Silva, acompanhada da advogada Loreni Giordani e de Adélia Aparecida Pereira, estiveram reunidas com a subsecretária da Mulher e da Promoção da Cidadania, Tai Loschi, para conhecer e obter apoio técnico para implantação da coordenadoria no município.

Dentre as ações propostas para a Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres de Amambai, estão cursos de capacitação, orientações técnicas e práticas e comercialização de produção de doces e confecção de roupas e artesanatos realizados em parceira com as secretarias municipais. “Queremos capacitar nossas mulheres para produzirem e auxiliar por meio das secretarias da área econômica a venda de toda essa produção”, explicou a advogada Loreni Giordani.

Valorização das trabalhadoras

 
A escrivã da Polícia Civil, Leda Teresa Andrade da Silva. A escrivã da Polícia Civil, Leda Teresa Andrade da Silva.

Também na Semana da Mulher, o grupo, em parceria com o jornal eletrônico Amambai Notícias e o programa Panorama, da Rádio Auxiliadora, promovem uma série de entrevistas com mulheres acerca do papel feminino na sociedade.

Serão entrevistadas as secretárias municipais de Educação, Vera Lorensetti, e de Meio Ambiente, Vânia Farias, a médica Arlete Poll, a pedagoga Irinéia Sarto, a professora indígena Elda Vasques e a empregada doméstica Marlene.

Coordenadoria combate violência contra a mulher

 
Os casos de violência contra a mulher, entre ameaças e agressão física, somam cerca de 10% de todo o atendimento feito pela Delegacia de Polícia Civil de Amambai. Os casos de violência contra a mulher, entre ameaças e agressão física, somam cerca de 10% de todo o atendimento feito pela Delegacia de Polícia Civil de Amambai.

De acordo com a subsecretária Tai Loschi, a rede de atendimento à mulher vítima de violência está cada vez mais estruturada. Para ela, programar a inserção de uma coordenadoria é o papel da subsecretaria, que deve ainda articular a criação de novos organismos de atendimento da mulher no interior.

Os casos de violência contra a mulher, entre ameaças e agressão física, somam cerca de 10% de todo o atendimento feito pela Delegacia de Polícia Civil de Amambai.

As mulheres vítimas de violência são amparadas pela lei Maria da Penha, em vigor desde 2006, que atende mulheres que são agredidas, tanto verbal ou fisicamente, por homens, sejam esses, familiares, maridos, companheiros ou namorados.

 
As mulheres vítimas de violência são amparadas pela lei Maria da Penha, em vigor desde 2006. As mulheres vítimas de violência são amparadas pela lei Maria da Penha, em vigor desde 2006.

Em Amambai, a lei é posta em prática pela Polícia Civil, através da escrivã Leda Teresa Andrade da Silva, que está na PC desde 1999. Ela explica que a delegacia de Polícia Civil de Amambai atende casos de violência contra a mulher desde 1999, porém, na época, a lei era a mesma para homens e mulheres.

Leda diz ainda que o correto seria Amambai possuir um centro de atendimento para as mulheres vítimas de violência, com ajuda psicológica e um ambiente onde elas pudessem ficar com os filhos. “Uma casa abrigo, onde a mulher pudesse se recuperar, para ficar com os filhos, recebendo atendimento médico e psicológico. A maioria dos municípios do MS tem um local assim e Amambai precisa. É até um apelo para que as instituições tanto públicas quanto privadas trabalhem em rede para ajudar essas mulheres, para que a lei seja cumprida de maneira completa”, conclui ela.

Retrocesso

 
A Delegacia de Polícia Civil de Amambai já teve uma sala de atendimento especializado às mulheres. A Delegacia de Polícia Civil de Amambai já teve uma sala de atendimento especializado às mulheres.

A Delegacia de Polícia Civil de Amambai já teve uma sala de atendimento especializado às mulheres. A conquista foi do Movimento de Mulheres de Amambai, iniciativa que reunia mulheres de diferentes classes sociais para discutir o papel das mulheres na sociedade amambaiense.

Entre as lutas levantadas pelo Movimento, o combate à violência às mulheres foi uma das principais. Essa ação culminou, com a instalação de uma sala de atendimento às mulheres vítimas de violência na delegacia de Polícia Civil de Amambai. Hoje, a sala está fechada por motivos alheios aos interesses das mulheres.

Conheça os objetivos da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres de Amambai

 
O objetivo da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres é efetivar um espaço de articulação de políticas públicas voltadas para a mulher no âmbito do Poder Municipal. O objetivo da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres é efetivar um espaço de articulação de políticas públicas voltadas para a mulher no âmbito do Poder Municipal.

Objetivo Geral

• Efetivar um espaço de articulação de políticas públicas voltadas para a mulher no âmbito do Poder Municipal.

Objetivos específicos

• Promover o empoderamento da mulher, melhorando sua autoestima e consciência sobre seu direito a ter direito, à vida e cidadania.
• Elevar a capacidade de inserção social e participação familiar da mulher, assim como sua capacidade de busca pela dignidade de pessoa humana.
• Integrar a mulher aos meios produtivos e de geração de renda mediante inserção em projetos e programas de qualificação profissional e elevação de nível de escolaridade e/ou instrucional.
• Organizar atividades que propiciem auferição de renda para as mulheres inseridas em programas de qualificação para o trabalho.
• Promover a articulação dos programas sociais destinados à mulher ou que possam favorecer a superação de sua condição de vulnerabilidade.
• Organizar as mulheres em situação de vulnerabilidade promovendo a discussão e análise da problemática envolvida nos casos concretos, buscando alternativas de superação.
• Prestar atendimentos pontuais às mulheres vitimadas pela violência ou em situação de precariedade de saúde física ou mental e material.

Seja o primeiro a comentar!

Envie seu Comentário!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.
 
 
 
 
 
 
Enquete