No fim de semana, PMA prende seis pessoas por pescar em período de piracema

 

Policiais Militares Ambientais de Aquidauana receberam no dia 11, à tarde, policiais rodoviários federais no quartel da PMA, que conduziam um pescador que transportava pescado ilegal e animal silvestre abatido da espécie jacaré. O homem, residente em Guarulhos (SP), transportava 15 kg de pescado capturado em período de piracema e 15 kg de carne de jacaré para sua cidade, quando foi abordado na BR 262, próximo ao Posto da PMA de Taquarussu.

Após confirmação de ser carne de jacaré e que o pescado era ilegal, o material foi apreendido e o autuado recebeu voz de prisão e foi encaminhado pela PMA à Delegacia de Polícia Civil de Anastácio, onde foi autuado em flagrante por crime de pesca predatória e por caça. Se condenado, poderá pegar pena de um a três anos de detenção pela pesca ilegal e mais seis meses a um ano pela caça. A PMA também efetuou um auto de infração administrativo e arbitrou multa de R$ 3.000,00 contra o autuado.

No último sábado, (12), Policiais Militares Ambientais de Corumbá, em fiscalização fluvial no rio Paraguai, prenderam dois pescadores profissionais, residentes em Corumbá. Eles praticavam pesca, na área do porto geral da cidade de Ladário, em período de piracema e ainda haviam capturado pescado com tamanho inferior ao permitido por lei. Os pescadores também utilizavam petrechos proibidos (tarrafa e anzóis de galhos).

No momento da prisão, os pescadores transportavam os pescados e os materiais para um veículo de marca Gol, de Ladário. Foram apreendidos 13 kg de pescado das espécies pintado, cachara, além dos materiais de pesca, sendo uma tarrafa e duas linhadas de mão e 48 anzóis de galhos, além do veículo.

Cada um dos pescadores foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.500,00. Eles foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Ladário, onde foram autuados em flagrante por crime de pesca predatória. Se condenados, poderão receber pena de detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

Também em Corumbá, no dia 12, Policiais Militares Ambientais, em fiscalização fluvial, na região do Distrito de Albuquerque, autuaram dois turistas de Campo Grande. Eles praticavam pesca na modalidade “pesque-solte” em local proibido e com utilização de petrecho proibido. Os pescadores portavam as Licenças de Pesca, porém, foram flagrados na baía de Albuquerque e ainda com tarrafa, petrecho proibido para a categoria amadora. O “pesque-solte” está permitido somente na calha do rio Paraguai.

Cada um dos pescadores recebeu multa administrativa no valor de R$ 700,00 e tiveram seus materiais apreendidos, sendo uma lancha do tipo Marajó com motor de popa 40 HP, três carretilhas com varas e uma tarrafa para captura de iscas. Eles responderão também por crime ambiental. Caso sejam condenados, poderão receber pena de detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente, por infringirem as leis de crimes ambientais.

Neste domingo, (13), Policiais Militares Ambientais de Mundo Novo, em fiscalização próximo à Ponte Airton Senna, prenderam um homem residente em Toledo (Paraná). Ele praticava pesca durante o período proibido de piracema. Com o autuado os policiais apreenderam quatro molinetes e quatro varas de pesca e seis quilos de pescado.

O pescador recebeu voz de prisão e foi conduzido à delegacia de Polícia Civil de Mundo Novo, juntamente com o material apreendido, onde foi autuado em flagrante por crime ambiental de pesca predatória. Após pagar fiança, o pescador foi liberado. Caso seja condenado, poderá pegar pena de detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. O pescador também foi autuado administrativamente e recebeu multa no valor de R$ 1.000,00.

Fonte: Notícias MS

Seja o primeiro a comentar!

Envie seu Comentário

Os comentários feitos no Amambai Notícias são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Amambai Notícias não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restam caracteres. * Obrigatório
 
 
 
 
 
 
Enquete