Sentimentos em tempo de maturidade

10/10/2016 09h13

Crônicas de uma Alma Solta

Sentimentos em tempo de maturidade


Por Luiz Peixoto

Amor não existe.
É uma invenção capitalista.

Caio Fernando Abreu

Quando eu era criança, acredita piamente que existia a figura do Papai Noel. Um velho de barba branca, barriga grande, roupa vermelha. Uma coisa meio exótica. Mas eu acreditava.

Quando era criança acreditava que leite com manga fazia mal, matava. Sempre que era época de manga, me negava a tomar leite. Afinal manga tinha a vontade e era uma delícia. Irracional, eu sei, mas eu acreditava.

Quando eu era criança um pouco maior, acreditava que se o chinelo ficasse virado a mãe morreria. Quantas vezes salvei a mãe desvirando o chinelo na hora, atento a cuidar para que ela vivesse. Estranho, eu sei, mas eu acreditava.

Quando virei adolescente, acreditava no amor. Que um dia ia encontrar alguém que iria balançar as estruturas e me fazer querer ser fiel e ficar com um só. Vários beijos e outras coisas depois, seguia acreditando. Infantil, eu sei, mas eu acreditava.

Na juventude acredite com gana e fé que podíamos mudar o mundo, que iriamos fazer a revolução e implantar um regime de governo justo e solidário. Tentei muito. Sei que inocente, mas eu acreditava. Fui vivendo. Fui criando. Fui amadurecendo.

Aprendi que Papai Noel é apenas uma construção capitalista para obrigas nossos pais a comprar presentes, as vezes sem poder, sem ter grana, mas tinha que ser "presente".

Aprendi que leite com manga faz um ótimo suco. Que faz bem, alimenta e refresca. Que a história surgiu para impedir que seres humanos escravizados por outros tomassem leite.

Aprendi que chinelo é só um calçado e que não interfere na ordem da vida de mãe, e de ninguém, a não ser quando na mão da mãe vira arma (e doía pra caramba).

Aprendi que o amor não existe. O que as pessoas querem em outras é o que falta em si e que, como ser completo, não me falta nada.

Aprendi que a mudança do mundo não será nada grande, revolucionário, será a mudança de cada dia, de cada um, tornando-se melhor.

Sentimentos em tempo de maturidade e de frieza:

  • Amor não existe. As pessoas se acostumam uma as outras
  • Amor incondicional é uma invenção cultural para nos mantes sobre dominação
  • Mães e pais não amam filhos, assumem responsabilidades
  • Filhos não amam mais, devolvem a assumência da responsabilidade
  • Amor não existe
  • Existe paixão, phatos.

Mas sigamos!!!


O autor é filósofo e escreve semanalmente nesta coluna

Envie seu Comentário