10/01/2017 08h52

Cães peludos precisam de cuidados especiais no verão


Fonte: ANDA

 
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Com as altas temperaturas do verão, é muito importante estar sempre atento aos cuidados com os animais. Contudo, vale lembrar que os cães com pelagens média e longa, por serem mais adaptados a climas mais frios, tendem a sofrer mais. A veterinária Larissa Benetolo, da Virbac do Brasil, explica como o organismo dos animais reage ao calor e orienta sobre os cuidados que se deve ter com os animais nos dias quentes.

"Quando está calor, nós produzimos suor por meio das glândulas sudoríparas, o que nos ajuda a fazer o ajuste da temperatura e "resfriar" o corpo nos períodos mais quentes. Nos humanos, essas glândulas estão distribuídas por quase toda a superfície do corpo. Nos cães, as glândulas sudoríparas estão presentes somente nos coxins, conhecidos como as "almofadas das patas", explica Larissa. "Como o resfriamento corporal dos cães, que chamamos de "troca de calor", é realizado apenas por essa região e pela boca, sob altas temperaturas acabam ficando mais ofegantes quando permanecem muito tempo expostos ao sol ou praticam algum exercício. Assim, precisamos ter mais atenção durante passeios e caminhadas".

A veterinária destaca ainda que, além dos cães peludos, deve-se dar uma atenção especial também aos cães braquicefálicos (que possuem focinho curto), como os Bulldogs, Boxers e Pugs. "Eles possuem mais dificuldade de respirar e, por isso, têm mais dificuldade com a troca de calor".

Atente-se!

  • Sempre deixar água fresca à vontade, observando os potes para evitar que fiquem sem água. Se necessário, aumentar a quantidade de potes com água pela casa.

  • Evitar passear nos períodos mais quentes do dia. Além de ser mais confortável, isso impede que os bichinhos queimem as patas. Os melhores horários são no início e fim do dia (até as 10 horas e após as 18 horas).

  • Se o cão for de pelagem clara, aplicar protetor solar veterinário.

  • Ao passear de carro com seu cão, jamais deixá-lo fechado dentro do carro.

  • Manter os banhos regulares e considerar uma tosa para que o cão sinta-se mais confortável.

  • Verificar sempre a disponibilidade de uma área com sombra a qual o cão tenha acesso.

  • Pisos frios e tapetes térmicos gelados para cães podem ser úteis para resfriar o animal, pois auxiliam na troca de calor.

  • Proteger o amigo contra pulgas e carrapatos com produtos antiparasitários. No calor, a quantidade desses parasitas aumenta e as chances de o cão adquirir pulgas e carrapatos é muito maior.

Além disso, se tiver qualquer dúvida ou perceber alguma alteração no comportamento do animal por causa do calor, o tutor deve procurar o médico veterinário imediatamente.

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.