06/12/2018 21h35

Câmara aprova orçamento do município de Amambai para 2019

Está previsto o valor de R$ 186 milhões para ser aplicado no município, no próximo ano


Fonte: Redação

 
Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Carlinhos / Foto: Moreira Produções Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Carlinhos / Foto: Moreira Produções

Amambai (MS) - Os vereadores reduziram de 15% para 10% o limite para créditos suplementares que o poder executivo pode gerenciar sem autorizacão do legislativo e destinaram R$ 400.000,00 reais dos recursos da Camara para investimentos em infraestrutura e mobilidade urbana. De acordo com o presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Carlinhos, este valor deve atingir a cifra de R$ 600 mil reais.

O orçamento foi aprovado na sessão ordinaria realizada na segunda-feira (3). O projeto de lei nümero 025/2018, de autoria do executivo, sofreu pouquísssimas mudanças. O percentual do limite autorizando o executivo a gerir crédito suplementar foi o ponto que mereceu mais debate entre os vereadores. Os vereadores Geverson Vicentim e Luis Fernando Fischer propuseram a reduçao do indice para 5%, proposição não teve parecer favorável dos membros da Comissão de Finanças e Orçamento que acabou acatando a proposta do vereador Roberto Dias que é de 10%. Já a destinação de R$ 400 mil reais, recurso oriundo do duodécimo do poder legislativo, foi concenso entre os edis.

O presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Carlos Roberto do Nascimento, Carlinhos, afirma que a peça orçamentária foi debatida entre os parlamentares e que as alterações propostas garantem autonomia entre os poderes. "Reduzimos de 15% para 10% o índice limite que o executivo pode suplemantar sem a autorização do poder legislativo e garantir investimento em pavimentação asfaltiva nas ruas que ainda faltam algumas quadras para receberem o investimento", diz Carlinhos.

Orçamento

O orçamento total aprovado para o próximo ano é de R$ 186.665.230,79. Os recursos são distribuidos para atender e fomentar os atendimentos realizados pelo poder público municipal nos diversos setores; veja onde a prefeitura pretende gastar os recursos. As despesas foram previstas pelas seguintes funções:

a) Legislativa - R$ 4.265.000,00;
b) Judiciária –R$ 891.993,28;
c) Administração – R$ 15.068.858,48;
d) Defesa Nacional – R$ 61.734,80;
e) Segurança Pública – R$ 327.600,00;
f) Assistência Social – R$ 5.344.964,40;
g) Previdência social – R$ 12.914,792,80;
h) Saúde – R$ - 28.560.935,86;
i) Trabalho – R$ 467.473,76;
j) Educação – R$ 60.680.259,52;
k) Cultura – R$ 1.988,576,72;
l) Direito da Cidadania – R$ 312.410,80;
m) Urbanismo – R$ 39.417.131,65;
n) Habitação – R$ 2.217.713,68;
o) Saneamento – R$ 52.000,00;
p) Gestão Ambiental – R$ 1.026.187,76;
q) Agricultura – R$ 3.629.908,00;
r) Industria – R$ 779.721,20;
s) Comércio e Serviços – R$ 350.560,80;
t) Energia – R$ 2.872.883,52;
u) Transporte – R$ 2.275.130,64;
v) Desporto e Lazer – R$ 759.087,68;
w) Encargos Especiais – R$ 1.894.789,52;
x) Reserva de Contigência – R$ 505.515,92.
.....


Envie seu Comentário