12/03/2019 20h50

Concurseiros pedem ajuda dos deputados para destravar concurso da PM suspenso

Grupo de 900 candidatos afirmam que já tentaram entrar em contato com o Governo do Estado, mas não houve resposta


Fonte: Daiany Albuquerque e Ludyney Moura/Midiamax

 
Deputado recebe candidatos de concurso da PM e Bombeiros (Foto: Luciana Nassar/ALMS) Deputado recebe candidatos de concurso da PM e Bombeiros (Foto: Luciana Nassar/ALMS)

Um grupo de concurseiros que participaram do concurso público para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul esteve nesta terça-feira (12) na Assembleia Legislativa para pedir ajuda dos deputados porque, segundo eles, até hoje não obtiveram resposta do Governo do Estado.

De acordo com Jean Carlos Oliveira, ele está em um grupo de 900 pessoas e já ligou diversas vezes para o governo, porém, não teve resposta e por isso decidiu procurar a Assembleia.

O fato foi abraçado pelo deputado estadual Pedro Kemp (PT), que fez uma indicação a ser encaminhada para o titular da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), Roberto Hashioka, e a Antonio Carlos Videira, que está à frente da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Público), pedindo que o concurso realizado em 2018 tenha prosseguimento.

Segundo o deputado estadual Barbosinha (DEM) ele irá buscar diálogo com o governo para dar uma resposta aos candidatos, porém, lembrou que o Estado não deverá fazer novas contratações agora.

"O Governo está no limite prudencial e o PDV [Plano de Demissões Voluntárias] pode abrir margem para contratações. Não é falta de vontade do governo, é aritmética", declarou o democrata.

Os concursos foram suspensos temporariamente "por motivos de ordem técnica e de força maior" em dezembro do ano passado. Em janeiro de 2019, a SAD informou que daria início ao planejamento logístico para a realização do TAF (Teste de Aptidão Física), processo que teria duração de cerca de 40 dias. Os 40 dias terminaram na segunda-feira (11) e ainda nada foi anunciado pelo Governo do Estado.


Envie seu Comentário