15/12/2018 22h02

Dentista lança obra com alerta sobre a mercantilização da odontologia


Fonte: Flávio Verão/Douradosagora

 
Thiago Nakai lança livro sobre experiência e pesquisa no setor. (foto - Flávio Verão) Thiago Nakai lança livro sobre experiência e pesquisa no setor. (foto - Flávio Verão)

A mercantilização do trabalho na saúde tem crescido cada vez mais e, para captar pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), muitas clínicas tem utilizado das mais diferentes estratégias de marketing para baratear a prestação de serviço. A área da odontologia iniciou esse processo há pelo menos 20 anos e tudo o que acontece nos bastidores é narrado pelo cirurgião-dentista Thiago Nakai, em livro a ser lançado nesta sexta-feira, às 19h, na livraria Canto das Letras, em Dourados.

A obra inédita no País é um grande alerta para qualquer cidadão que busca atendimento em determinados locais onde os lucros, em tese, podem estar em primeiro lugar. Com um estilo combativo de escrita marcada pela experiência pessoal e estudos de caso, o autor ainda denuncia a precariedade e a proletarização dos profissionais dentistas. A obra trata-se de um debate e reflexão sobre a ética, a sociologia e a economia. Durante entrevista ao O PROGRESSO, Thiago Nakai deixa claro que não é contra as clínicas odontológicas "populares". Apenas não concorda com os moldes de atuação e de trabalho desenvolvido nesses locais. "O lucro passou a ter maior importância do que o bem-estar e a qualidade de serviço prestado ao paciente, que passou, na verdade, a ser cliente", explica o cirurgião-dentista, com título de implantontista e mestrando em Periodontia.

Assim que se formou em Odontologia, em 2010, Thiago Nakai atuou por vários estabelecimentos em Mato Grosso do Sul e em muitos casos só conhecia o paciente na hora de realizar a cirurgia no dente. Durante suas experiências e estudos de caso, o cirurgião-dentista constatou que certas clínicas com preços populares se transformaram numa espécie de "linha de produção". Equipe administrativa com meta de captar clientes e um profissional dentista para fazer a avaliação e encaminhar as pessoas aos demais profissionais de plantão. Assim tem funcionado o sistema, descreve o autor; e tudo tem um determinado tempo para realizar a tarefa.

Há casos, segundo Thiago Nakai, a exemplo de uma extração, que é preciso mais tempo para realizar o procedimento com qualidade, no entanto, devido ao grande volume de clientela, o tempo se torna inimigo, induzindo o profissional a erro. Outra questão está relacionada ao material de trabalho.

"Como a prestação de serviço é popular, os insumos a serem utilizados também tendem a ser de qualidade inferior, como a resina de uma restauração. As consequências podem ser as mais diferentes possíveis e recai sobre o profissional e a clínica. Isso também pode acontecer em clínicas que atendem por plano de saúde, principalmente quando o plano repassa ao profissional um valor baixo pelo serviço, capaz nem de cobrir as despesas dos materiais a serem utilizados durante o procedimento", diz.

O autor do livro orienta que referências sobre os profissionais e as clínicas são sempre bem-vindas antes de contratar o serviço, pois nem sempre o valor a ser pago pode ser a questão central. Orienta também a conhecer sobre o currículo do dentista e os trabalhos realizados.


Envie seu Comentário