21/02/2019 10h50

Mudança vai ampliar crescimento e melhorar grau de investimento do Brasil, afirma Guedes

Para ministro da Economia, aprovação de reforma da Previdência vai colocar o País em uma nova rota de crescimento


Fonte: Gov do Brasil

 
Proposta de novo sistema previdenciário foi enviada ao Congresso Nacional - Foto: Marcos Corrêa/PR

Proposta de novo sistema previdenciário foi enviada ao Congresso Nacional - Foto: Marcos Corrêa/PR

Com a aprovação da proposta da Nova Previdência, a economia brasileira vai recuperar o grau de investimento e passar a crescer de forma mais intensa no futuro, afirmou, nesta quarta-feira (20), o ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevista ao Governo do Brasil.

Considerada essencial para o equilíbrio das contas públicas, a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo federal nesta quarta prevê a adoção de uma idade mínima para homens e mulheres dos setores público e privado, eliminando privilégios e com regras de transição.

"Sem essa reforma, estaríamos prisioneiros do baixo crescimento", pontuou Guedes. "Removendo esse buraco estruturalmente com uma reforma, nós vamos melhorar o grau de investimento da economia, vamos acelerar os investimentos, vamos voltar ao equilíbrio fiscal", ressaltou.

O grau de investimento funciona como um "selo de bom pagador" dado por agências internacionais de avaliação de risco. Ele atesta o quanto um país é capaz de honrar seus compromissos e o quanto ele é seguro para receber investimentos de longo prazo, mostrando o risco de os investidores levarem um calote. Quanto melhor essa classificação, mais investimentos são feitos e mais estável fica a economia do País.

Segundo o ministro, a reforma do sistema previdenciário vai reequilibrar as contas públicas, abrindo espaço para mais investimentos, juros mais baixos, geração de mais empregos e crescimento econômico."Nós vamos aumentar o ritmo de crescimento do País, aumentar a produção, a acumulação de capital, gerar empregos", disse ele. "É um novo Brasil se conseguirmos fazer as reformas que precisamos. E essa reforma da Previdência é a primeira e mais importante", enfatizou.

Envie seu Comentário