09/05/2019 19h12

Centenas foram às ruas pelo fim da violência e cobrar mais segurança em Coronel Sapucaia

Comércio fechou as portas e representantes de vários segmentos participaram do manifesto.


Fonte: Vilson Nascimento/A Gazeta News

 
Fotos: Vilson Nascimento Fotos: Vilson Nascimento

Centenas de pessoas foram às ruas na tarde dessa quinta-feira, 9 de maio, para pedir o fim da violência e cobrar das autoridades competentes, mais investimento em segurança pública, em Coronel Sapucaia.

 
Representantes de vários segmentos da sociedade de Coronel Sapucaia foram às ruas na tarde dessa quinta (9) para cobrar mais segurança no município. Representantes de vários segmentos da sociedade de Coronel Sapucaia foram às ruas na tarde dessa quinta (9) para cobrar mais segurança no município.

A cidade da fronteira com o Paraguai vem enfrentando uma onda de assaltos a mão armada, onde os marginais tem como público-alvo estabelecimentos comerciais, residências e até mesmo pedestres na rua.

Só de domingo (5) até a tarde essa quinta-feira foram pelo menos seis assaltos à mão armada. Quatro deles registrados no domingo, um na terça-feira (7) e outro nessa quarta-feira, dia 8 de maio.

A onda de crimes tem levado os moradores a viverem em clima de tensão e inclusive a cidade poderá até perder o Fórum local, que foi instalado no começo deste ano após luta de logos anos das autoridades e da sociedade sapucaiense, justamente por falta de segurança.

 
Autoridades do Executivo e Legislativo Municipal local também participaram do ato. Autoridades do Executivo e Legislativo Municipal local também participaram do ato.

Durante a manifestação dessa quinta-feira, que contou com a presença de empresários, funcionários do comércio, unidades educacionais e entidades como o Lions Clube Binacional de Coronel Sapucaia, a Seleta, o Moto Trilha Coronel Sapucaia, a AESA (Associação Empresarial de Coronel Sapucaia) e inclusive a Igreja Católica, além de diversas pessoas da comunidade local, os principais estabelecimentos comerciais da cidade fecharam as portas.

Autoridades dos poderes Executivo e Legislativo Municipal em Coronel Sapucaia,

 

que inclusive na próxima quarta-feira, 15 de maio, participam em Campo Grande, de uma audiência agendada pelo presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Paulo Corrêa, como o presidente do Tribunal de Justiça de MS, para pedir a permanência do Fórum no município, também participaram do manifesto.

A população sapucaiense cobra, entre outras ações, o aumento de efetivos nas polícias, Civil e Militar, uma presença maior, se possível com a instalação de um posto na cidade, do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e melhoramento geral na aparelhagem das forças de segurança no município de 15,1 mil habitantes.