30/03/2019 18h56

Policiais são acusados de participar de execução com 17 tiros na fronteira

Agentes e pistoleiros conseguiram fugir


Fonte: Maisse Cunha/Midiamax

 
Pistoleiros fugiram e policiais negam participação no crime (Foto: reprodução/Porã News) Pistoleiros fugiram e policiais negam participação no crime (Foto: reprodução/Porã News)

Agentes da Polícia Nacional do Paraguai são suspeitos de participar da execução de um jovem de 25 anos, morto com 17 tiros na fronteira, na última sexta-feira (29). A execução ocorreu à luz do dia, em frente a uma clínica dentária no bairro San Geraldo, em Pedro Juan Caballero. Os agentes negam envolvimento no crime.

Edgar Irala foi surpreendido por pistoleiros a bordo de uma caminhonete preta e acabou sendo brutalmente assassinado com 10 disparos de fuzil e outros sete de pistola calibre 9mm. Os tiros atingiram a altura da cabeça e o jovem morreu de forma instantânea.

Polícia técnica e investigadores da Divisão de Homicídios foram acionados e o corpo de Edgar encaminhado ao Instituto Médico Legal da cidade. Segundo o Porã News, populares disseram que a vítima teria sido executada por um agente da Polícia Nacional, mas policiais negam participação no crime.

Eles estariam a uma quadra do local e, no momento da execução, saíram em perseguição dos pistoleiros, mas os perderam de vista. A polícia segue investigando o caso.


Envie seu Comentário