22/04/2019 08h01

Homem é autuado em R$ 3 mil por desmatamento de vegetação nativa em Nioaque


Fonte: Assessoria PMA

 
No lugar da floresta desmatada havia pastagem e criação de gado / Foto: PMA No lugar da floresta desmatada havia pastagem e criação de gado / Foto: PMA

Campo Grande (MS) Uma equipe da Polícia Militar Ambiental de Jardim realizou vistoria em uma propriedade rural no município de Nioaque, a 75 km da cidade, durante a Operação Semana Santa e localizou uma área desmatada ilegalmente. Os trabalhos aconteceram na tarde da última quinta-feira (18), quando os Policiais conferiam áreas desmatadas entre 2013 e 2015 descobertas por imagem de satélites, em propriedades rurais no município.

Na conferência in loco a medida do desmatamento com uso de GPS perfez 12,12 hectares destruídos. O infrator, de 65 anos e residente em Campo Grande, não possuía autorização ambiental para a atividade.

No lugar da floresta desmatada havia pastagem e criação de gado e a madeira provenientes da vegetação desmatada não estavam no local. Ele foi autuado e recebeu multa administrativa total de R$ 3.036,00.

O autuado também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção. Além disso, ele foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

Operação Cervo-do-Pantanal

A vistoria faz parte da operação Cervo-do-Pantanal. Nesta operação, a PMA recebeu 634 vistorias de possíveis desmatamentos ilegais levantados por imagem de satélites na bacia do rio Paraguai e Paraná pelo Núcleo de Geoprocessamento (NUGEO) do Ministério Público Estadual (MPE). Em 2018 foram 109 proprietários rurais autuados na operação, sendo verificado um total de 2.665,46 hectares de desmatamentos ilegais em 23 municípios. Foram aplicadas multas que perfizeram o valor de R$ 3.056.028,00.

Envie seu Comentário