Prefeitura de Amambai estabelece “Comitê de combate a Dengue”

 
Prefeito Dirceu Lanzarini institui comitê que tem objetivo mobilizar e sensibilizar a população de Amambai. Prefeito Dirceu Lanzarini institui comitê que tem objetivo mobilizar e sensibilizar a população de Amambai.

Amambai se destaca no cenário regional de combate ao mosquito transmissor da dengue e decide criar o “Comitê de combate a Dengue”. Em uma reunião realizada no último dia 21, no auditório da Secretaria Municipal de Educação, o prefeito Dirceu Lanzarini, juntamente com a Secretaria Municipal de saúde e demais membros de entidades de Amambai, resolveu criar o comitê que tem como objetivo mobilizar e sensibilizar a população para o risco da doença no município.

Além do prefeito Dirceu Lanzarini, estava presente o secretário de saúde Ednor Bampi, secretária de educação Zita Centenaro, vice-prefeito e secretário de Indústria e Comércio, José Aguiar, vereador Robertino Dias e representantes da Defesa Civil, 17° RC Mec, Rotary Club, Funasa, Sindicato Rural, Conselho Municipal de Saúde, Escola Estadual Cel. Felipe de Brum, Associação de Moradores, Pastoral da Criança e demais moradores. Também colaboraram com a criação do comitê as secretarias municipais de Serviços Urbanos, Meio Ambiente, Obras, Assistência Social e Indústria e Comércio.

Na primeira parte da reunião, técnicos da vigilância sanitária mostraram ao público presente como esta a situação em Amambai. A secretaria de saúde, juntamente com a secretaria de serviços urbanos vem realizando periodicamente a limpeza das vilas onde foram encontrados possíveis focos do mosquito transmissor, juntamente com agentes da vigilância sanitária que aplicam veneno e fazem a orientação dos moradores. Em Amambai, existem cerca de 11.147 imóveis.

Para o secretário de saúde, Ednor Bampi, a criação do comitê de combate a dengue ajudará muito no combate e na prevenção ao mosquito transmissor, pois segundo ele, o maior problema encontrado em Amambai é a falta de conscientização dos moradores que não cuidam do próprio quintal, jogam lixo em terrenos vazios e em estradas da região, o que é tratado como crime ambiental. Em todos os casos encontrados nas vilas de Amambai, a maioria foi encontrado em lixos jogados nas residências e terrenos vazios. A secretaria de saúde realiza o bloqueio químico, mas sem a ajuda da população, todo o trabalho é em vão.

A dengue é uma doença urbana, prova disso é que 98% dos casos encontrados foi em domicílios domésticos, seu controle é feito basicamente através do combate ao mosquito vetor, principalmente na fase larvar do inseto. Deve-se evitar o acúmulo de água em possíveis locais de desova dos mosquitos. Quanto à prevenção individual da doença, aconselha-se o uso de janelas com telas de proteção, e uso de repelentes. É importante combater todos os lugares onde há água parada, local utilizado pelo mosquito para depositar seus ovos.

“A conscientização da população sobre os riscos que é contrair a dengue é de grande importância. Isso vai evitar o aumento da doença, e também sua fase hemorrágica, que pode matar. É imprescindível que a população ajude a combater o mosquito da dengue” disse o secretário de saúde Ednor Bampi. O uso de inseticidas, por exemplo, não é uma boa forma de eliminar o mosquito adulto. Os mosquitos estão se tornando cada vez mais resistentes a essas substâncias e assim gerando filhos também resistentes aos inseticidas, o que está tornando a população de Aedes aegypti predominantemente resistente.

O uso de inseticidas em larvas também tem as mesmas contra indicações. Sendo assim, a melhor maneira de combater o mosquito adulto é eliminar as águas paradas. Não havendo água parada, as fêmeas não têm um lugar adequado para que seus ovos se desenvolvam e assim, a população de mosquitos adultos vai sendo reduzida até não representar mais perigo. Ainda não há vacinas comercialmente disponíveis para a dengue, mas a comunidade científica internacional e brasileira está trabalhando nesse propósito. A dengue, com quatro vírus identificados até o momento, é um desafio para os pesquisadores, pois o desenvolvimento da vacina é muito complexo. É necessário fazer uma combinação de todos os vírus para que se obtenha um imunizante realmente eficaz contra a doença.

Para o prefeito Dirceu Lanzarini, ações como estas são positivas, “combater a dengue depende de ações conjuntas entre as autoridades municipais e a população, por isso damos valor e atenção a trabalhos como este, que estão sendo realizados em nosso município” disse Lanzarini.

O comitê de combate a dengue atuará principalmente fazendo a conscientização, prevenção e se necessário também à punição de pessoas que estão descuidando seu quintal ou jogando lixo em lugares impróprios. O comitê irá estudar uma maneira de buscar medidas para punir as pessoas que possuem casos reincidentes.

Segundo Lanzarini, é de fundamental importância à participação de todos na ajuda e no controle a dengue, pois ninguém esta livre de contrair a doença. “temos que fazer com que a sociedade de Amambai se mobilize ao combate do mosquito, a prefeitura conta com uma boa estrutura de recolhimento de lixo, por isso não é cabível que os moradores joguem lixo na rua ou deixem acumulados em suas casas” disse o prefeito.

A atuação do Comitê se baseia na lei 2.015/2007 que estabelece as normas sobre o controle e a prevenção da febre amarela e da dengue no âmbito do município de Amambai, estabelecendo as competências, obrigações, proibições e penalidades. Ficou estabelecido na formação do comitê: Presidente, Wilson Vicente Ferreira, 1° Secretário, Cleonice Spada e 2° Secretário, Katiene Moreira. O comitê contará com 20 membros, que terá a função de propor ações e ideias para combater a dengue.

Fonte: Assessoria Prefeitura de Amambai

 
 
 
 
 
Enquete