12.8 C
Dourados
segunda-feira, 23 de maio de 2022

Primeiro ano do Mais Social reforça importância do programa que já chega a 80 mil beneficiários

- Publicidade -

Foto: Leomar Alves Rosa, Sedhast

Nesta terça-feira, 5 de abril, o Programa Mais Social completa um ano de existência. Sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja, a lei 5.639/21 estabeleceu um programa social que já é referência nacional e está proporcionando comida na mesa de ao menos 80 mil famílias sul-mato-grossenses.  A meta, a ser alcançada ainda neste primeiro semestre, é de 100 mil beneficiários.

“Em pouco tempo, já chegamos bem próximos de nossa meta inicial. O Mais Social é um programa que exige uma gerência estratégica, equipes dedicadas e uma coordenação bem apurada para que se concretize e vire realidade. E isso estamos alcançando com o apoio de nossos servidores nos 79 municípios do Estado. O olhar do Governo do Estado também faz toda a diferença. Veículos novos, identificação e equipamentos de tecnologia reforçam o programa e agilizam a inclusão de famílias. Um dia na vida de uma pessoa em vulnerabilidade pode significar muito. Queremos o quanto antes chegar às 100 mil famílias”, destacou Elisa Cleia Nobre, titular da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho).

 A dona de casa, Clara Ruiz, 44 anos, moradora do Bairro Nossa Senhora Aparecida, em Porto Murtinho, é uma das beneficiárias do Mais Social. Ela conta que os R$ 300 reais que recebe todo mês do Governo do Estado têm feito a diferença no seu dia a dia. “Desde que o Mais Social entrou na minha vida, melhorou bastante as condições alimentares da minha casa. Estou desempregada e moro de aluguel. O benefício do Mais Social veio para me ajudar a dar uma forma melhor de alimento para minha família”, disse.

Mãe de quatro filhos e moradora do Bairro Bela Vista, em Três Lagoas, Graciele Ribeiro, 38 anos, pontua que o Mais Social está lhe ajudando a superar dificuldades. “Era muito difícil sem o Mais Social e com a vinda da pandemia tive ainda mais dificuldade para comprar mistura e leite para minha família. Hoje o Mais Social me ajuda a fazer uma compra no mercado e até com o gás. O Mais Social é muito importante não só para mim, mas para muitas outras famílias que necessitam”, reforçou a dona de casa.

Os investimentos do Governo do Estado no Programa Mais Social passam também pelas equipes que atendem as famílias. Com 85 novos veículos, os servidores que atuam  no programa se deslocam com mais facilidade e rapidez no atendimento aos beneficiários. Em todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul também foram entregues tablets para agilizar os trabalhos.

Outro ponto importante nesse primeiro ano do Mais Social foi o acréscimo de 50% no valor do benefício concedido pelo Governo do Estado. Com o estabelecimento de R$ 200 reais no início do programa, esse valor foi revisto pelo Governo do Estado, passando para R$ 300 reais mensais por beneficiário e permitindo a compra de gás de cozinha, além dos itens de alimentação e higiene.

Aparecida do Carmo, 57 anos, moradora do Bairro Flavio Derzi, em Sonora, é mais uma beneficiária do programa que conta como sua vida melhorou com esse Programa implantado pelo governador Reinaldo Azambuja. “Antes do programa tinha mais dificuldade na alimentação e hoje está melhor”. Aparecida também destacou que o Mais Social é muito importante para sua família.

A lavadeira, Dulce Dias Leonardo, 53 anos, moradora de Mundo Novo, no Jardim Felix, também relata que antes do Mais Social era muito difícil. “Depois desse benefício, melhorou muito”. Dulce conta que sua filha faleceu em um acidente de moto, e agora ela é a responsável por suas duas netas. “Compro leite e fraldas para elas, com dois e cinco anos. Só eu que cuido delas. Com o Mais Social melhorou muito. O Mais Social é maravilho e importante como ajuda”, finaliza.

Primeiro ano do Mais Social reforça importância do programa que já chega a 80 mil beneficiários

Mais Social

O Mais Social é um auxílio pensado pela equipe do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul para atender as famílias em situação de vulnerabilidade social, insegurança alimentar e nutricional. O programa paga R$ 300 mensais para beneficiários que têm renda mensal familiar per capita inferior a meio salário mínimo. As 100 mil famílias beneficiárias do Mais Social estão sendo extraídas conforme dados disponibilizados pelo CadÚnico.

Equipes da Sedhast estão realizando o contato com os beneficiários, portanto é necessário aguardar a visita desses grupos de trabalho que estarão devidamente identificados e respeitando as normas de biossegurança adequadas ao atual momento de pandemia.

Dúvidas sobre o Mais Social podem ser sanadas pelo telefone 3368-9000.

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

20 de maio – dia do Pedagogo

- Publicidade-