22.5 C
Dourados
segunda-feira, 4 de dezembro de 2023

Pesquisa aponta variação de até 10,5% no preço do GNV em Campo Grande

- Publicidade -
- Advertisement -

Postos de combustíveis apresentam variação de até 10,5% no valor cobrado para abastecer com GNV (gás natural veicular), em Campo Grande. A informação consta em levantamento do Procon/MS (Secretaria-Executiva de Orientação e Defesa do Consumidor), instituição vinculada à Sead (Secretaria de Estado de Assistência Social e dos Direitos Humanos).

Na pesquisa, realizada entre os dias 24 e 26 de outubro, são considerados os valores aplicados em oito postos de combustíveis da Capital. A principal diferença percentual está no método de pagamento realizado pelos consumidores.

Quem opta por abastecer nas modalidades dinheiro e débito encontra valores entre R$ 4,19 e R$ 4,59. A variação, nesse caso, é de 9,55% no metro cúbico do combustível. Já no pagamento com cartão de crédito, os preços variam entre R$ 4,19 e R$ 4,63. Isso representa 10,5%.

O secretário-executivo do Procon/MS, Antonio José Angelo Motti, explica que o combustível passou a integrar os novos levantamentos de preços feitos pela instituição, a fim de assegurar um parâmetro mais amplo de análise para o consumidor na hora de abastecer.

Benefícios fiscais

Motoristas de Mato Grosso do Sul contam, desde maio, com isenção de IPVA para os veículos movidos a GNV, além de redução da base de cálculo do ICMS de 17% para 12%. Essas medidas, conforme o governo, buscam incentivar o uso dessa alternativa que é mais sustentável quando comparada a gasolina.

Dados do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) indicam que a frota estadual hoje possui 4.777 veículos registrados utilizando o GNV todos os dias.

Seguro, o combustível requer a regularização e manutenção do equipamento de conversão. O processo de instalação do kit precisa ser autorizado pelo Detran, sendo o serviço realizado em oficinas credenciadas pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Outros combustíveis

Em relação aos demais combustíveis pesquisados pelo Procon/MS, as maiores variações foram encontradas no etanol aditivado (9,5%), etanol comum (9,12%), gasolina aditivada (6,95%) e o diesel S500 aditivado (5,62%).

Confirma a pesquisa completa: https://tinyurl.com/msrybbuu

Fonte: Kleber Clajus, Comunicação Procon/MS

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

Prosa & Política

- Publicidade-