20.7 C
Dourados
domingo, 16 de junho de 2024

Em La Bombonera, torcedores opinam sobre eleição: ‘Maradona votaria em Massa, Maradona é o povo’

- Publicidade -

Na porta do estádio mais famosos da Argentina, maradonianos especulam a opinião do ídolo sobre o momento do país

Na última quinta-feira (16), Argentina e Uruguai jogaram pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026, no estádio La Bombonera, no tradicional bairro de La Boca, em Buenos Aires.

A uma hora do início da partida, as ruas escuras do entorno de La Bombonera intimidavam o torcedor argentino que pagou até U$$ 150 por um ingresso, e muitos corriam, buscando as entradas do estádio. Para além dos apressados, nas ruas estavam os trabalhadores e moradores do bairro, que, sem conseguirem ocupar as arquibancadas, se aglomeravam para ver passar o ônibus da seleção.

Nas rodas de conversa, a eleição presidencial do próximo domingo (19) parece ter pouca ou quase nenhuma atenção. Sergio Massa e Javier Milei perdem, por muito, para Lionel Messi. Mas somente os dois primeiros têm chances de morar na Casa Rosada nos próximos quatro anos e isso quem decidirá será o eleitor argentino.

Brasil de Fato foi até La Bombonera para entender como votaria um dos argentinos mais ilustres da história, Diego Armando Maradona, se estivesse vivo. Idolatrado em La Boca, o lendário camisa 10 da Argentina, que teria completado 63 anos no último dia 30 de outubro, sempre teve uma forte ligação com a política.

Vendedor do tradicional choripan, Gaston Coman vai à porta de La Bombonera há 20 anos e está preocupado com a possível eleição de um dos candidatos. “Espero que as pessoas tomem consciência que não é boa a forma como se comporta o Milei, ele não sabe nada dos anseios populares, ele quer nos tirar direitos como educação e saúde. Espero que as pessoas tomem consciência e sigam para o lado de Massa.”

Quando perguntado sobre qual seria o voto de Maradona, Coman não titubeia. “Diego votaria com Massa, não votaria em outros que não sabem o que é a pobreza”.

Dario Ruiz levou os três filhos para assistir ao jogo e estava feliz por conhecer La Boca. Ele explica que, em sua opinião, a eleição do dia 19 de novembro é para “escolher o menos pior” e que seu voto ainda não está decidido.

Sobre o eterno camisa 10 argentino, Ruiz é mais decidido. “É um ídolo, o maior da história”, se declara o torcedor. “Maradona votaria Massa, Maradona era peronista e Maradona é o povo.”

“Vou votar em Massa”, começa Eliana Villalba. “Não votaria no Milei com suas loucuras, falando sobre comercialização de órgãos. Apoio a saúde pública e a educação pública. Então, fora Milei”.

Villalba acredita que Maradona seguiria seu voto. “Creio que votaria no peronismo”. Em Milei, não? “Não tenho bola de cristal, mas acredito que não”, conclui.

Desde agosto, há cartazes espalhados pelo bairro que publicizam o hipotético voto do ídolo argentino. “La Boca sabe que Dieguito votaria em Sergio Massa para presidente”, diz a mensagem.

Maradona nunca escondeu sua filiação política. Em novembro de 2020, foi às redes sociais e declarou: “Fui, sou e sempre serei peronista”, escreveu o ex-jogador. “Meu pai foi peronista e minha mãe adorava Evita”, concluiu.

Fonte: Igor Carvalho / Buenos Aires

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-