28.2 C
Dourados
sábado, 2 de março de 2024

Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor

- Publicidade -

O Frango Vida, programa do Governo do Estado voltado à avicultura de corte, está garantindo a expansão e modernização da cadeia produtiva em Mato Grosso do Sul, por meio de incentivos a produção. Em 2023, o programa remunerou em mais de R$ 35 milhões os avicultores de 286 unidades de produção de frango.

Na avaliação dos avicultores o programa trouxe entusiasmo, ânimo ao setor e uma melhor harmonização no relacionamento entre produtores e agroindústria. É o que conta o avicultor Nacib Said, de Aparecida do Taboado, que é integrado da Bello Alimentos. Ele ressalta a importância e a relevância do programa para o desempenho da atividade no último ano.

“O Frango Vida é extremamente relevante. porque além de dar um incentivo, ele mantém o avicultor no ramo. É um incentivo que veio para ajudar quem está na ponta”, elogiou o avicultor.

Criado dentro do Programa de Avanços da Pecuária de Mato Grosso do Sul (Proape-MS), gerido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), o Frango Vida busca assegurar e manter a saúde do rebanho e a biossegurança nas instalações avícolas, apoiando os produtores em ações para regularização ambiental, sanitária, trabalhista e de adoção das boas práticas de produção nos aviários.

De acordo com o gestor do programa da Semadesc, médico-veterinário Rubens Flávio Mello Corrêa, o sistema produtivo de exploração da cadeia produtiva da avicultura de corte no Estado está alicerçado em sua totalidade na modalidade de integração.

Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor
Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor
Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor

Neste sistema a agroindústria é denominada integradora, fornecendo ao produtor integrado os pintinhos, a ração, a assistência técnica e se responsabilizando pelo abate e comercialização do frango abatido. Já o produtor participa com as instalações, equipamentos, aquecimento, fornecimento de água de boa qualidade, cama do frango e a mão de obra.

“Vale ressaltar que hoje já existem aviários e plantas industriais modernas. Estamos em um período de extraordinária evolução tecnológica, com melhorias e avanços no setor de genética, ração, instalações e bem-estar animal”, salientou Mello.

O segmento está em plena expansão no Estado, apoiado em linhas de crédito como o FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste). No ano passado, Verruck lembra que foram concedidos R$ 93.406.036,77 via FCO para reformas, ampliações e implantação de novos núcleos.

“Produtores que têm este incentivo, já reformularam o ambiente interno dos aviários com a aquisição de equipamentos mais modernos, bem como suas modernizações passando para galpões com automatizações e melhorias no ambiente externo das granjas, instalação de energia fotovoltáica, práticas ambientais, sociais e de governança, elevando a qualidade de vida para todos, envolvendo pessoas e o meio ambiente”, avaliou o secretário da Seamdesc, Jaime Verruck.

Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor

Números

Segundo dados da Coordenadoria de Pecuária da Semadesc, o Frango Vida tem hoje 286 inscrições cadastradas e aprovadas, sendo 247 unidades de produção de frangos do tipo comum e 39 aviários de frangos do tipo griller. O secretário-executivo de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Rogério Beretta, o Frango Vida uma das metas do programa é ajudar o produtor a fazer uma atualização tecnológica dos aviários.

“O apoio do Governo por meio do incentivo é um fator fundamental para que os avicultores consigam se manter na atividade reduzindo o índice de produtores  menos tecnificados. Queremos diminuir o volume de avicultores excluídos da integração por meio da modernização tecnológica da produção”, acrescentou.

O programa conta com sete níveis de incentivo diferentes, sendo 18 inscrições classificadas com 50%, 108 inscrições classificadas com 48,5%, 100 inscrições classificadas com 47%, 33 inscrições classificadas com 45,5%, 14 inscrições cadastradas com 44%, 12 inscrições cadastradas com 42,5% e 1 inscrição cadastrada com 41%.

Alinhado às metas de sustentabilidade estabelecidas pelo governo, das 286 inscrições cadastradas, 133 delas fazem uso de energias renováveis e estão distribuídas em 30 municípios de Mato Grosso do Sul, com destaque para Sidrolândia, Dourados, Fátima do Sul, Glória de Dourados e Itaquiraí, onde estão concentrados os maiores números de granjas.

Dentro do Estado, as agroindústrias com SIF abateram 160.747.212 de aves, de acordo com relatório do Ministério da Agricultura. Deste total, 93.047.476 de frangos foram abatidos dentro do Frango Vida, sendo 79.419.966 de frangos do tipo comum e 13.419.510 frangos do tipo griller.

Frango Vida: incentivo a avicultura de MS garante mais de R$ 35 milhões aos produtores e ânimo ao setor

Foram concedidos um total R$ 35.129.812,12 em incentivos, sendo R$ 32.068.056,16 para os produtores que produzem o frango do tipo comum e R$ 3.061.755,96 para os que produzem do tipo griller. Neste cenário o valor do incentivo por animal é de R$0,40 para o tipo comum e R$0,22 para o tipo griller.

O Estado tem cinco indústrias aptas ao pagamento do incentivo cadastradas na Semadesc: Bello Alimentos ltda em Itaquiraí e Aparecida do Taboado; BRF S.A. em Dourados; JBS Aves ltda em Caarapó e a Seara Alimentos ltda, em Sidrolândia.

Fonte: Rosana Siqueira, Comunicação Semadesc

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-