23 C
Dourados
quinta-feira, 13 de junho de 2024

Eleições municipais: escolha e rejeição de parceiros

- Publicidade -

Faltando menos de oito meses para o dia das eleições municipais, lideranças partidárias de Amambai dos espectros políticos de direita, de centro direita e de centro têm sinalizado interesse em dar continuidade ao processo eleitoral polarizado ocorrido no pleito para escolha do presidente e vice-presidente da República, em 2022.

Mesmo ocupando cargos políticos no governo federal, membros locais dessas agremiações têm manifestado serem contrários a qualquer aproximação com o Partido dos Trabalhadores (PT).

A postura fere a lógica de que pequenos municípios, sem rede de televisão e sem tradição partidária consolidada, em muitas situações, as relações pessoais e a história individual do candidato interferem mais nas opções políticas do que o amor ou ódio a Lula ou a Bolsonaro.

Informe da Coluna (fonte: Tribunal Superior Eleitoral)

O que é uma coligação partidária?

Coligação é a união de dois ou mais partidos para apresentar de forma conjunta candidatos à determinada eleição. As coligações não valem para as eleições proporcionais, ou seja, desde 2017 não elegem representantes para os cargos de deputado federal, deputado estadual ou distrital e vereador. Mas valem para as eleições majoritárias, pois podem apoiar candidatas e candidatos aos cargos de presidente da República, governador, senador e prefeito.

Nas Eleições Municipais de 2024, elas serão permitidas apenas para o cargo de prefeito.

Na coligação, partidos também podem se unir?

Sim, apesar de não ter personalidade jurídica civil, como os partidos, a coligação é um ente jurídico com direitos e obrigações durante todo o processo eleitoral.

Ela é uma entidade jurídica de direito eleitoral, porém temporária, com todos os direitos assegurados aos partidos e, também, com todas as obrigações, inclusive as resultantes de contratos com terceiros e as decorrentes de atos ilícitos.

PL com novo diretório municipal

Durante reunião ocorrida na última quarta-feira, 14, em Campo Grande, foi formalizada a nova executiva municipal do Partido Liberal (PL) de Amambai.

Na presença do presidente estadual do partido, deputado federal Marcos Pollon, e do suplente da senadora Tereza Cristina (PP), Aparecido Andrade Portela, conhecido como Tenente Portela,, foi oficializada a composição dos membros da legenda no município. Zé Bambil- presidente, Sinval Amaral- vice-presidente, Vanusa Pereira- primeira secretária, Diloe Matos – tesoureira, pastor Jeferson – segundo secretário e Bruno Martins e pastor Leandro – vogais. 

Questionado pela coluna se seria pré-candidato a prefeito pela sigla, Bambil confirma sua pré-candidatura ao cargo. Nos bastidores da política, corre solta a prosa que os liberais estão inclinados a apoiarem a pré-candidata, vereadora Janete Córdoba (PSDB).

O fuxico tá rolando entre os políticos de plantão.

Semanalmente, esta coluna entra em contato com os pré-candidatos a prefeito para ter informações da conjuntura do cenário político. Nesta semana, por exemplo, o pré-candidato do Novo, Ricardo Renato Habitzreuter, ao ser indagado sobre as notícias no cenário eleitoral, informou: “A única novidade é que o PL trocou o diretório e mudou sua posição; antes era com o Novo, agora vai seguir a vereadora Janete”.

Novo oxigena pré-campanha com evento social

Para oxigenar a pré-campanha eleitoral para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores, o partido Novo promove um Jantar entre Amigos, com a participação do advogado Daniel Ribas. O evento acontece no dia 24 de fevereiro, no Triplo K, a partir das 19 horas.

Por

José Luiz Nunes Moreira

DRT/RS 5759-21/100

Novo é de Direita e não de Extrema Direita
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-