31.8 C
Dourados
terça-feira, 21 de maio de 2024

A dança das cadeiras entre os partidos de olho nas eleições

- Publicidade -

Eleições 2024: direita dividida e novas filiações movimentam o cenário em Amambai

Em Amambai, nas eleições de 2020,grupos de posicionamento político com características conservadoras em relação aos aspectos sociais e econômicos do país, juntaram-se em defesa e apoio a uma candidatura para representá-los no poder público municipal. 

Aproveitando a onda bolsonarista que estava pegando em boa parte dos rincões da nação, principalmente nos municípios com economia sustentada pelo agronegócio, este segmento – leia-se, de direita – concentrou esforços numa chapa majoritária pura do Partido Social Liberal (PSL), formada por Zé Bambil e pelo pastor Paulo Leandro Oliveira, candidatos a prefeito e vice-prefeito respectivamente. Formal e oficialmente, registrada no Tribunal Regional Eleitoral, a chapa foi composta apenas pelo PSL.

Diferentemente de quatro anos atrás, lideranças desta fração política conservadora de Amambai dispersaram em quatro frentes na peleia pela conquista do principal cargo político no município.

Duas frentes, até então, estão na disputa dando sustentação, cada uma, a seu pré-candidato – o Partido Liberal, segue com José Bambil, e o Partido Novo, com o pré-candidato Renato Habitzreuter.

Enquanto as outras duas – Partido Progressista (PP) e Partido União Brasil – leia-se, essas com menor grau de sectarismo nos posicionamentos ideológicos, avaliaram a necessidade de aproximarem-se de lideranças políticas já reconhecidas pelos eleitores como bons gestores: o PP aposta no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), do Sergio Barbosa, e o União Brasil, o PSD e o PSDB asseveram-se ao redor do Dr. Bandeira, e o entendimento é que devem apoiar o candidato dele, ou candidata.

Ficar de Olho

Vale lembrar que o prazo para as agremiações realizarem convenções vai de 20 de julho a 5 de agosto; e o limite para o registro na Justiça Eleitoral dos nomes dos candidatos vence em 15 de agosto.

Novas filiações são destaques

Nos últimos dias do prazo para filiação partidária, vencido na última sexta-feira, 5, a movimentação de lideranças partidárias foi intensa.  Ações buscando a adesão de novos filiados para as legendas foram priorizadas. A conquista de figuras com histórico político reconhecido, já testadas nas urnas pela população, mereceram destaques nos meios de comunicação do Patrimônio e nas redes sociais.

PSDB

O presidente municipal do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), prefeito Dr. Bandeira, ressaltou a filiação no seu partido da ex-coordenadora do programa Mais Social em Amambai, Suzana Ulisses.

A migração do vereador Tato de Souza, do PT para o PSDB, mereceu destaque no ninho tucano. A pré-candidata tucana ao principal cargo da majoritária, vereadora Janete Córdoba (PSDB), fez questão de usar a tribuna durante sessão do legislativo municipal, realizada na segunda-feira, 01, para ressaltar a filiação do vereador.

União Brasil

A filiação do ex-presidente da Câmara de Vereadores, Jaime Bambil, no União Brasil (UB),também foi evidenciada na tribuna pela pré-candidata ao cargo de prefeita, vereadora Janete Córdoba. Jaime pediu desfiliação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) para filiar-se no Partido União Brasil (UB).

Vale destacar que a motivação da tucana se deve ao fato de a nova legenda do ex-vereador fazer parte dos partidos que compõem o grupo – PSDB, UB e PSD – de apoio a sua pré-candidatura a prefeitura.

Jaime foi eleito vereador no ano de 2012 pelo PT do B, presidiu o poder legislativo no ano 2015 e foi candidato ao cargo de prefeito nas eleições de 2016, pelo PMDB. 

NOVO

A filiação do ex-prefeito Geraldo Felipe Correa no Partido Novo é comemorada pela direção da legenda. Geraldo assinou ficha no Novo no dia 2 de abril, em evento no plenário da Câmara de Vereadores.

Debutando como o primeiro prefeito eleito no município fronteiriço com o fim da Ditadura Militar, em 1985, Geraldo foi eleito pelo PMDB, em seguida se transferindo para o PSDB; exerceu o cargo de 1986 a 1988. 

PT

A filiação do secretário municipal de Gestão, Sérgio Perius, no Partido dos Trabalhadores (PT), mereceu destaque da direção partidária. Sérgio estava filiado no PSDB.

Em contato com a esta coluna, Sérgio afirmou que está indo para nova legenda e vai pleitear ser pré-candidato a vice-prefeito. Questionado sobre a motivação em filiar-se no PT, Sergio disse que foi para atender convite do presidente municipal da legenda e foi no PT que iniciou participação na política partidária.  “Primeiro partido em que fui filiado foi o PT, onde havia estudos de formação política, leituras macro e micro para organização e construção de projetos com objetivo de melhorar a sociedade”, justificou Perius.

Por pouco, disputa eleitoral não acontece

Coisa boa essa tal de democracia. A turma tem que ir a campo, mostrar a cara, falar o que pensa. Por vez, moralmente obrigada a cumprir o dito.

Dá dó lembrar que durante a Ditadura Militar, por 21 anos, a população de Amambai foi proibida de dar palpite, ou seja, votar no político que gostaria que pudesse representá-la.

Por duas décadas, de 1965 a 1985, nove prefeitos foram nomeados. As indicações foram feitas por políticos aliados do regime e nomeados pela Junta Militar em Brasília. 

Viva a liberdade da escolha. A Democracia!

Por

José Luiz Nunes Moreira

DRT/RS 5759-21/100

Novo é de Direita e não de Extrema Direita
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade-