27/02/2019 21h06

Ex-ministro alerta Ruralistas

Mercadante alerta produtores rurais, que apoiaram Bolsonaro e agora tomaram um golpe com a notícia de que a China deve trocar o Brasil pelos Estados Unidos na compra de grãos de soja;


Fonte: Brasil 247

 
Mercadante destaca que a China é, de longe, nosso principal parceiro econômico e o atual governo está trocando-o pelos EUA, que são menos importantes que a União Europeia / Foto: Divulgação Mercadante destaca que a China é, de longe, nosso principal parceiro econômico e o atual governo está trocando-o pelos EUA, que são menos importantes que a União Europeia / Foto: Divulgação

O ex-ministro da Casa Civil e da Educação Aloizio Mercadante transmitiu um recado aos produtores rurais brasileiros, que tomaram um golpe do governo que apoiaram. O governo chinês está prestes a trocar a soja que antes era comprada pelo Brasil pela dos Estados Unidos, prejudicando duramente os ruralistas. Em uma participação no programa Leo ao Quadrado, da TV 247, Mercadante faz uma dura crítica à política externa que vem sendo praticada pelo presidente Jair Bolsonaro e traz um alerta importante aos produtores:

"Ou vocês jogam fora esse viés ideológico e reflitam sobre o que foi essa política externa ou nós vamos assistir novos capítulos em que as sequelas dessa política externa irresponsável vai significar menos produção, menos emprego, renda e desenvolvimento no campo brasileiro".

Mercadante traz diversos dados sobre o comércio internacional no setor do agronegócio. "O Brasil é o país que mais aumentou o excedente exportado de alimentos nas últimas duas décadas. É o país com maior capacidade de aumentar a produtividade de alimentos, de carne e continuar crescendo exportação. Mas para isso precisa ter uma política externa consistente, não essa aventura irresponsável conduzida por esse ministro obscurantista".

"No início da década de 2000", lembra ele, "a China importava do Brasil um bilhão e 100 dólares. No final da década, eram 30 bilhões de dólares. Foram 300 bilhões de dólares de exportação para a China durante a primeira década do PT no poder. Em 2017, eram 50 bilhões de dólares. É de longe o maior parceiro econômico. O segundo maior parceiro é a União Europeia, com 35 bilhões de dólares. O terceiro, os Estados Unidos, que é a metade da China, 26 bilhões de dólares. E o quarto, o Mercosul. Outro parceiro importante é o mundo árabe".

"O que fez a política externa do governo Jair Bolsonaro antes mesmo da posse?", prossegue o ex-ministro. "Abriu um atrito completamente irresponsável com o mundo árabe, com o Mercosul e com a União Europeia. Em relação à China, é uma barbaridade o que estamos fazendo. Eles se distanciaram de outros países e a China é só mais um passo nesse sentido", critica. Mercadante destaca que "48% das exportações para a China (dos 58 bilhões de dólares) são de soja".

"Estamos brigando com todos esses parceiros, perdendo importância diplomática, soberania e mercado", lamenta. "Estamos destruindo essa política externa de forma completamente irresponsável".

O ex-ministro lembra ainda outro dado, a respeito dos investimentos chineses no Brasil. Em 2016, foram investidos 11 bilhões e 900 milhões de dólares no Brasil. Em 2018, 1 bilhão e 800. "Então a China está se distanciando comercialmente do Brasil. Ela tem como comprar de outros mercados e está fazendo isso", observa.

Ele afirma que o atual governo está trocando a China pelos Estados Unidos, que "são menos importantes que a União Européia" em termos de comércio internacional com o Brasil. "Não adianta ter um monte de parlamentar ruralista no Congresso, isso não vai assegurar nada, temos que ter uma política externa", conclui.


Envie seu Comentário