13/05/2019 23h01

Estudantes ocupam UFMS em protesto contra cortes de Bolsonaro na educação


Fonte: Diego Alves/Midiamax

 
Foto: Leonardo de França Foto: Leonardo de França

Aproximadamente 150 acadêmicos ocuparam a unidades seis da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), na noite desta segunda-feira (13). A manifestação é contra o corte de ao menos 30% em verbas de universidades públicas, anunciado pelo Governo Federal. De acordo com alunos, a intenção é a de ficar até a próxima quarta-feira (15), dia em que está anunciado uma greve geral na educação pública nacional. Outros assuntos como privatizações e reforma da Previdência também estão na pauta.

 
Foto: Leonardo França Foto: Leonardo França

A unidade seis, onde estão os alunos, abriga cursos como Psicologia, Ciências Sociais, Filosofia, História, Nutrição, Veterinária, Medicina e Educação Física.

"Os alunos ainda estão deliberando assuntos sobre a ocupação. Hoje no final da tarde, houve uma assembleia de estudantes de que deliberou pela ocupação até o dia 15, que é o dia da manifestação nacional contra o corte de gastos na educação. Vamos mobilizar o resto dos estudantes para parar no dia 15", disse uma acadêmica que preferiu não se identificar.

 
Foto: Leonardo França Foto: Leonardo França

No final de abril, o MEC (Ministério da Educação) anunciou um corte de 30% dos repasses às universidades federais. Já o Governo Federal, se refere aos cortes como "contingenciamento". O Ministério da Educação informou "que o critério utilizado para o bloqueio de dotação orçamentária foi operacional, técnico e isonômico para todas as universidades e institutos".

Segundo a pasta, foram bloqueados R$ 7,4 bilhões do total de R$ 23,6 bilhões de despesas não obrigatórias. No total, o orçamento anual do MEC, incluindo gastos obrigatórios, é R$ 149 bilhões.